Os documentos já foram entregues pelo Cartório de Registro de Imóveis de Bom Despacho, devidamente registrados, e estão prontos para ser entregues aos proprietários

Nesta semana, a Legaliza Brasil recebeu do Cartório de Registro de Imóveis de Bom Despacho mais um lote de escrituras dos imóveis inscritos no projeto de Regularização Fundiária no município de Moema/MG.

Nesta etapa do projeto, ao todo, foram inscritos 203 imóveis para receber o título definitivo, e o lote entregue pelo Cartório é referente a imóveis situados na Rua B. “Parte das escrituras dos imóveis localizados na Rua B já foram entregues e com esse lote concluímos a regularização de todos os imóveis desta rua inscritos no projeto”, explica Ewerton Giovanni, diretor-geral da Legaliza Brasil, empresa parceira da Prefeitura de Moema na execução do projeto no município.

Segundo o diretor, estão em análise os documentos dos imóveis dos bairros Ipiranga, Padre Jonas e Distrito da Chapada. “Em breve, todos os proprietários cadastrados receberão o documento definitivo e passarão a ser donos de fato e de direito de seus imóveis”, anuncia.

Situado no Alto São Francisco, no estado de Minas Gerais, o município de Moema possui cerca de 8 mil habitantes e 500 imóveis a serem regularizados.

Maria de Lourdes, moradora da Rua B, é uma das beneficiárias do projeto e já recebeu a escritura definitiva da sua casa. “Estava tentando regularizar minha casa há mais de 20 anos e não conseguia, por falta de condições. Eu espero que outras famílias possam sentir esta mesma alegria que estou sentindo”, comemora.

CADASTRO
Os proprietários que possuem imóveis em situação irregular em Moema ainda podem se cadastrar no projeto de Regularização Fundiária. Para isso, a Legaliza Brasil mantém um plantão de atendimento no município para orientar os cidadãos interessados em inscrever seus imóveis. O atendimento pode ser agendado pelo telefone: (38) 99956-0210.

PREVENÇÃO
Os atendimentos são realizados por agendamento prévio, evitando aglomeração, e adotando todas as medidas de higiene e segurança, devido à pandemia de coronavírus (Covid-19).